Carregando...
 
id da página: 10486 TRABALHO CONSCIENTE E SOFRIMENTO VOLUNTÁRIO
GURDJIEFF TERMOS — TRABALHO CONSCIENTE E SOFRIMENTO VOLUNTÁRIO

VIDE: SOFRIMENTO; OBRIGAÇÕES

Segundo Richard Defouw, no ensinamento de G, um elemento chave do processo pelo qual a transformação que é possível para uma pessoa pode ser alcançada, é o «trabalho sobre si mesmo».

Ser e consciência são desenvolvidos através de uma espécie de trabalho chamado «trabalho sobre si mesmo», que B usualmente se refere com a expressão «dever-esseral-Partkdolg». «Dever-Partkdolg» é composto de três palavras que significam dever em três línguas diferentes, o que nos faz lembrar um esforço dos três centros do homem. A palavra «esseral», enquanto qualificador afirmativo «do ser», nos anuncia que o ente humano é inalienavelmente submetido ao ser, ele é um «sendo», um ser-aí, ou como preferimos um «ente», assim ser é também seu dever.

Em que consiste esse «trabalho sobre si mesmo» depende do nível de desenvolvimento de cada um, mas há um ingrediente de interesse que deve sempre estar presente: um esforço para ser organicamente (não superficialmente) «ciente de si mesmo», ou senciente. Em RBN, G refere-se a este esforço mais explicitamente no curto capítulo RBN I-7. B diz a seu neto Hassein: «Em tua idade é indispensável que toda manhã quando o sol se levante, enquanto contemplando a reflexão de seu esplendor, busque um contato entre tua consciência e as várias partes inconscientes de tua presença comum».

As várias «partes inconscientes de tua presença comum» mencionadas são o corpo planetário e seu funcionamento. Assim, B está dizendo que se deveria cultivar a sensação do corpo, tão fundamental para uma «sensação completa do todo de mim mesmo».


Santo Buda disse entre outras coisas, o seguinte (RBN I-21):

Um dos melhores meios para tornar inefetiva a predisposição presente em vossa natureza da cristalização das consequências das propriedades do órgão Kundabuffer é o «sofrimento-intencional»; e o maior sofrimento-intencional pode ser obtido em vossas presenças se compelis a vós mesmos a ser capaz de resistir as «desagradáveis-manifestações-de-outros-para-convosco».

Esta explanação de Santo Buda junto com outras definitivas indicações dEle foi espalhada pelos Seus iniciados mais próximos entre o entes ordinários aí; e depois do processo do sagrado Rascooarno ter ocorrido a Ele, também começaram a passar de geração em geração.

Assim, quando aqueles entes tricerebrais entre as segunda e a terceira gerações dos contemporâneos de Santo Buda em cuja psique, já desde o tempo da perda de Atlântida, essa peculiaridade tinha sido fixada, chamada «necessidade psíquica-orgânica para presunção», começou — desafortunadamente para os entes tricerebrais daquele período e desafortunadamente também para os entes de todas as gerações seguintes e mesmo para aqueles do tempo presente — a presumir e super-presumir a respeito destes conselhos de Santo Buda, então como um resultado uma noção bastante definida se tornou fixada e também começou a passar de geração a geração, que esta mesma «resistência» deveria sem erro ser produzida em completa solidão.

Aqui essa estranheza da psique de teus favoritos então manifestou-se justamente como agora se manifesta, por não ter considerado e não considerar o óbvio fato — óbvio, quer dizer, para toda Razão mais ou menos sã — que o Divino Mestre, Santo Buda, em aconselhando eles a empregar esta espécie de «resistência», certamente tinha em vista que eles deveriam produzir esta «resistência» enquanto existindo entre outros entes similares a eles mesmos, e assim que frequentemente produzindo em suas presenças esta sagrada atualização-esseral para com as manifestações desagradáveis para com eles de outros entes similares a eles mesmos, poderia portanto ser evocado neles o que são chamados aqueles «Trentroodianos», ou, como eles mesmo diriam, aqueles «resultados-psíquicos-químicos» que, em geral, na presença de todo ente tricerebral, formam aqueles sagrados dados-esserais, que atualizam nas presenças comuns dos entes tricerebrais, uma das três forças santas do sagrado Triamazikamno-esseral; e esta santa força em entes sempre se torna afirmativa para com todas as propriedades negantes já presentes neles.

Assim desde este tempo quando a mencionada definida noção começou a existir, teus favoritos começaram abandonando aquelas já estabelecidas condições de existência-esseral por conta da qual a predisposição para a cristalização das consequências das propriedades do órgão Kundabuffer tinha se tornado intensa em suas presenças, e em cujas condições, como o Divino Mestre Buda supunha, a dita «resistência» para com outras «manifestações desagradáveis para si mesmo», poderia unicamente cristalizar em suas presenças comuns esse «dever-Partkdolg» que em geral é necessário para todos os entes tricerebrais.


SANTO PLANETA PURGATÓRIO (BTG p. 792)
Para a continuidade da evolução das substâncias que se transformam no ser humano desde sua ingestão como primeiro alimento-esseral, faz-se necessário "esta ajuda estrangeira que é atualizada somente nas presenças dos entes tricerebrais exclusivamente devido àqueles fatores mencionados por mim mais de uma vez e que são manifestados no 'dever-partkdolg-esseral', ou seja, devido a justamente aqueles fatores que nosso PAI COMUM CRIADOR INFINITO consentiu a preordenar a serem os meios pelos quais certos Tetartocosmos — como resultado final de seu servir os propósitos da Iraniranumange cósmico-comum — possam se tornar ajudantes na regência do Mundo ampliado, e fatores os quais também até agora servem como únicos meios possíveis para a assimilação das substâncias cósmicas requeridas para o revestimento e perfeicionamento dos corpos-esserais superiores e que nós no momento presente chamamos de 'trabalhos conscientes' e 'sofrimento voluntário'".

Dispositivos móveis

Online Users

1 usuário on-line

Responsável

Murilo Cardoso de Castro
Doutor em Filosofia, UFRJ (2005)
Mostrar mensagens de erro do PHP