Carregando...
 
EGO — EGOÍSMO

VIDE: PHILAUTIA
HINDUÍSMO
Michel Hulin: AHAMKARA
Na tradição hindu o egoísmo não parece ser jamais apresentado em estado puro, como "egoísmo sórdido", mas sempre no contexto de uma certa sobre-estimação (abhimana) tácita de si mesmo. Donde a frequente utilização de dois sinônimos de ahamkara: garva e smaya. Garva, é o fato de ser "cheio do sentimento de sua importância" (cf. guru: a pessoa grave, importante); smaya designa propriamente o sorrir de orgulho daquele que recebe um cumprimento, se admira em um espelho, etc. Constata-se que garva e smaya permanecem substituíveis a ahamkara até em seus empregos filosóficos técnicos. Isso significa que eles não são então categorias psicológicas ou caracterológicas ("defeitos" pertencendo propriamente a certos tipos humanos e constituindo o reverso de suas qualidades específicas), mas expressões da condição humana em geral.


GURDJIEFF
Relatos de Belzebu: CAPÍTULO XXVII

Foi precisamente o surgimento das castas ou classes, dentre as formas anormalmente estabelecidas de existência-esseral ordinária, a saber, a designação para cada ente a diferentes classes ou castas, que veio a se tornar a base para a gradual cristalização nas presenças comuns destes desafortunados, daquela propriedade psíquica particular que, no todo do Universo, é inerente única e exclusivamente às presenças daqueles entes tricerebrais.

Esta propriedade exclusivamente particular foi formada neles logo depois da segunda perturbação Transapalniana e gradualmente se desenvolvendo e se tornando fortalecida neles, passou de geração a geração por hereditariedade, até agora chegar aos entes contemporâneos como uma certa parte inseparável e legítima de sua psique geral e esta propriedade particular de sua psique é chamada por eles mesmos «egoísmo».

A causa da possibilidade do surgimento em suas presenças comuns desta propriedade particular foi que, devido sempre às mesmas condições anormais estabelecidas desde o início depois da dita segunda perturbação, sua psique geral se tornou dual.

Isso se tornou inteiramente evidente quando B investigou as causas de como e porque a cristalização dos mencionados fatores obtidos das partículas da emanação de Pena de NOSSO PAI COMUM CRIADOR para a atualização do impulso-esseral Divino de consciência objetiva, que procede nas presenças deles, quer dizer, justamente em dita subconsciência deles, e assim evitar essa degeneração final à qual estão sujeitos todos os dados neles para o engendramento nas presenças deles dos impulsos-esserais , Amor e Esperança. Esta estranha anomalia justifica uma das numerosas sentenças de Mullah Nassr Eddin: «Toda - real - felicidade - para - o - homem - pode - surgir - exclusivamente - somente - de - alguma - infelicidade - também - real - que - ele - já - tenha - experimentado».

A dualidade mencionada de sua psique geral procedeu porque por um lado várias chamadas «iniciativas-individuais» começaram a originar dessa localização surgindo em suas presenças, que é sempre predominante durante a existência de vigília, e cuja localização nada mais é senão o resultado de percepções acidentais de impressões provenientes do exterior, e engendradas por seu ambiente anormal, percepções estas que em totalidade são chamadas por eles sua «consciência»; e por outro lado, similar iniciativas-individuais também começaram a originar neles como é próprio a eles, dessa localização normal existindo nas presenças de toda espécie de ente e que eles chamam seu subconsciente.

E por causa das mencionadas iniciativas-individuais originarem de tais localizações diferentes durante sua existência-de-vigília, cada uma delas, durante o processo de sua existência diária como tal, dividiu-se em duas personalidades independentes.
[...]
Desde o momento que o dito egoísmo se tornou completamente «inoculado» nas presenças, esta particular propriedade-esseral se tornou, por sua vez, o fator contribuinte fundamental na gradual cristalização em sua psique geral dos dados para o surgimento de ainda outros diversos impulsos-esserais bastante exclusivamente-particulares agora existindo sob os nomes de «esperteza», «inveja, «ódio», «hipocrisia», «despeito», «soberba», «servilidade», «timidez», «ambição», «dupla-face», e assim por diante.

Quando os dados surgiram nas presenças comuns dos teus favoritos para o engendramento deste «único-particular» impulso-esseral egoísmo e quando gradualmente evoluindo e dando surgimento a fatores provenientes dele para outros também particulares mas agora secundários estranhos impulsos-esserais, esta dita «única-propriedade» egoísmo usurpou o lugar do «Regente-Único-Todo-Autocrático» em sua organização geral; então, não somente a manifestação mas mesmo o que é chamado o «desejo-pelo-surgimento» de tal impulso-esseral Divino se tornou uma inconveniente às ações deste «Regente-Todo-Autocrático». E em consequência disto, quando teus favoritos já tinham, por força de necessidade, tanto conscientemente quanto inconscientemente, sempre e em tudo, impedido-o de participar no funcionamento dessa consciência deles através do controle do qual se tornou próprio a eles atualizar suas existência-de-vigília, as ações daqueles dados Divinos foram gradualmente, como tal, removidos do funcionamento de suas «consciência» ordinária e conduzidos a participar somente no funcionamento de seu dito subconsciente.

Dispositivos móveis

Online Users

1 usuário on-line

Responsável

Murilo Cardoso de Castro
Doutor em Filosofia, UFRJ (2005)
Mostrar mensagens de erro do PHP