Carregando...
 
id da página: 7434 DEFINIÇÃO DE VOLIÇÃO
WEI WU WEIINFERÊNCIA DA VONTADE — DEFINIÇÃO DE VOLIÇÃO

Talvez a questão da volição possa ser prontamente compreendida apenas perguntando quem aí exercita a volição e quem aí experimenta os resultados dela.

Fenomenicamente há uma causa aparente, que pode ser chamada ego-volição, e um efeito psíquico, que pode ser completude ou pode ser frustração.

O efeito da «volição» condicionada é o resultado de causas das quais a volição é um efeito-causa mediato, e um aparato psico-somático experimenta esse efeito,

E com relação àquela «volição» que é não-volição, wu wei ou bodhi, o efeito supremo é a integração.

A fim de que possa haver volição e o resultado da volição, seria necessário haver uma entidade para exercer uma e para sofrer a outra. Se se acha que não existem tais entidades então nenhuma tal coisa como volição pode existir que não seja um conceito.

Numenicamente não há nenhuma volição — porque não há nenhum eu. Fenomenicamente a espontaneidade somente é não-volicional.

Mas pela compreensão que a volição não é, o caminho pode ser encontrado para ser aberto por onde essa «volição» que é não-volição pode nos liberar, como objetos aparentes, de uma prisão que é devida àquela identificação com uma objectivação, que nunca fomos, não somos, e nunca poderíamos ser.


Dispositivos móveis

Online Users

1 usuário on-line

Responsável

Murilo Cardoso de Castro
Doutor em Filosofia, UFRJ (2005)
Mostrar mensagens de erro do PHP