Carregando...
 
id da página: 8503 A NOITE DE NÚPCIAS
PIERRE GORDON — A NOITE DE NÚPCIAS

Segundo o autor, seu propósito escrevendo tal obra foi desembaraçar da sociologia e da etnologia um cliché mal formulado que falseia as perspectivas históricas. O assunto era então escabroso. Corajosamente o autor o abordou em A INICIAÇÃO SEXUAL E A EVOLUÇÃO RELIGIOSA. Entendeu que assim conseguia enfrentar os preconceitos sobre o tema. Assim esclarecida melhor a questão, neste estudo o autor quer ir mais adiante nesta temática. Segundo o que ele mesmo escreve:

Considera-se como uma evidência que os costumes sexuais dos selvagens atestam o nível grosseiro original da humanidade. O longínquo ancestral teria tido os mesmos costumes dos animais (não se indica, no entanto, quais); os cultos fálicos do neolítico provariam a baixeza de suas perspectivas religiosas...


Assim por diante, o autor demonstra que se pinta um quadro "animalesco" do ser humano primitivo, em tudo incompatível com a Idade de Ouro e a Idade de Prata, retratada nas principais tradições que apresentam os Ciclos da humanidade. Considerando tal quadro fundamentado em uma teoria contrária aos fatos, o autor do exame de material antropológico e etnológico, arqueológico e mítico, conclui que a humanidade mais antiga teve ideias de excepcional elevação, cujos usos posteriores marcam uma degenerescência. Os costumes que atualmente nos desconcertam não se explicam senão pela altitude do distante ponto de partida. Seriam totalmente incompreensíveis se o homem tivesse tido por princípio as brutalidades do instinto. As noções correntes sobre o desenrolar da História merecem, portanto, uma revisão.


Dispositivos móveis

Online Users

1 usuário on-line

Responsável

Murilo Cardoso de Castro
Doutor em Filosofia, UFRJ (2005)
Mostrar mensagens de erro do PHP